Diminuição

by davidraimundo

No princípio era eu senhor e rei,
dono de todos os meus destinos,
soberano da ilusão que criei.
O meu ego entoava hinos
e o espelho que tanto amei
mostrava orgulho em traços finos…
Até ao dia em que te achei.

Mas devo talvez reconhecer
que foste tu que me achaste.
Tu que sem eu perceber
sempre me procuraste,
e por mais que quisesse esconder
com graça me desarmaste.

Jardineiro és hoje do meu coração
cultivando nele um novo caminho
expurgando-me da vã ilusão
de que sou suficiente sozinho.
Eis em mim uma nova canção!

O espelho é bem estilhaçado,
o orgulho esfuma-se e dá lugar
ao nazareno agora coroado
rei e senhor do meu caminhar.

Assim, vou aprendendo a oração
Dos discípulos e dos servos:
“Que tu sejas e eu não”.

O grande paradoxo acontece assim
Quanto tu és tudo o que há em mim

Eu finalmente sou.

Anúncios