Apologética em dois parágrafos

by davidraimundo

O homem não existe. Pesei todos os argumentos que o afirmam e também aqueles que suportam a hipótese contrária e digo-vos que esta é a única conclusão racional. A fé na existência do homem constitui apenas um escape, uma espécie de paliativo para que a nossa condição não nos seja tão pesada. É uma fé que pertence aos fracos, aos que não querem encarar os factos com pragmatismo e crueza. Uma fé para alimentar a falsa esperança de que haja vida para além disto… um terrível engano!

Se o homem existisse, não haveria tanto sofrimento no mundo. A razão diz-me que se ele existisse não permitiria tantas lágrimas, tanta miséria, tanta desgraça. Certamente arregaçaria as mangas e interviria. A justiça, a cooperação, o amor – que os seus crentes dizem ser uma virtude do homem – espalhar-se-iam no mundo pela sua acção. Ora, olhando para o mundo, constatamos que nada disto acontece. Não necessito assim de refinar os argumentos para defender a minha conclusão, pois é a lógica empírica que a dita: o homem não existe.

Anúncios