Oops!… I did it again

by davidraimundo

Uma vez tive um blog.
Textos redigidos na área metropolitana de Lisboa por um rapaz solteiro e estudante, que não sabia passar a ferro e que tinha a barba rala.

Outra vez tenho um blog.
O epicentro da escrita fica mais a noroeste, a vida é a dois, no papel já não sou estudante, o ferro de engomar não me é tão estranho, a barba continua rala.

Perguntar-me-ão qual a utilidade de mais um blog.
Uma parte de mim gostava de dar uma resposta pragmática e altiva do estilo:

eu, David Raimundo, pretendo utilizar este espaço para expor, com uma retórica refinada e desarmante, as minhas opiniões acerca da pseudo-democracia das sociedades ocidentais pós-modernas, denunciando com vigor a demagogia e a falta de vergonha dos principais partidos políticos e dos governantes; aqui serão também debatidos os grandes problemas globais do século XXI e serão expostos os respectivos culpados; as questões morais que abalam a sociedade também não escapam à minha análise crítica e prometo disseca-las com zelo e sem cedências.

Felizmente, por enquanto, ganha a parte de mim que, não sabendo identificar com exactidão o que me leva a inaugurar este blog, resiste a um manifesto deste género e aos assuntos que ele propõe. Como dizia o outro: não sei para onde vou, mas sei que não vou por aí. Ou como dizia a senhora ao Ambrósio: o que eu queria era algo…

Ficamos assim.

Para já, a utilidade do blog é apenas uma: relembrar a mim mesmo a pertinência da carta que, segundo reza a lenda, G. K. Chesterton, um tipo que foi escritor, filósofo e mais uma porrada de coisas, enviou para o The Times como resposta ao inquérito “What’s wrong with the world today?”:

“Dear Sir,
I am.
Yours,
G.K. Chesterton.”

Anúncios